terça-feira, 2 de março de 2010

Palavras


Sou catador de palavras
Umas são recicladas
Outras encharcadas
Com as chuvas das vidas
De quem sem palavras
Vivem nas calçadas
Com fome por uma palavra
Sou catador de palavras
Algumas límpidas
Como o orvalho
Outras como cristal
Se quebra atoa
Nos fere na carne
Há também umas...
Tão frias nos faz tremer
Sou catador de palavras
Em juras de amor
Em paixões e partidas
Sou catador de palavras
Sem nexo...
Para os corações de pedras
Palavras juntas formam
Imagem com frescor
De perfume bom...
Palavras de fábulas
Sou catador das palavras
Das parábolas
De quem nos ensinou
Com palavras
Olhar os lírios dos campos
De tanto catar
Fui catado
Pelo Logos
Que se fez carne
O verbo Deus.

2 comentários:

  1. Muitos desconhecem a grandeza do poder da palavra... Tanto é que poucos sabem usá-las corretamente!
    Lindo poema meu grande amigo... Quanta riqueza sem igual usada neste poema!
    Na oportunidade, agradeço as visitas constantes no meu blog também... Depois estarei postando um poema intitulado "Quisera eu!"... Falo sobre o poder da palavra, mas de outras pespectivas... Abração meu querido!

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo, somos escravos do nosso trabalho , do tempo , mas hj deixei de me escravisar para vir visita-lo,e agradecer pela visita, navegando pelas pags do blog fiquei admirada com os textos , muito lindos,
    Parabés!!!!
    Um abraço

    ResponderExcluir