sábado, 13 de março de 2010

Clareza


Que ela seja acessível
A todos, não ser difícil de entender
Os "eruditos " não suportam
O que é simples de se entender
O Que vai direto ao coração
Das pessoas simples
Dos sensíveis
Que ela seja transparente
Sem pieguice
Sem a fumaça
Das figuras de linguagem
Dos"intelectuais" de plantão
Que ela seja acessível
No mover e nos ver
De dentro para fora
De fora para dentro
Para abrandar
Consolar
revolver
Não encobrir
Cavar
Reinventar as palavras
Onde todos possam
Sentir a realidade
Muitos ao sofrer
Querem ser notados
Acalentados
Com gestos
Palavras
A metáfora mais comum
"Olhos com amor"
Nada de ensaio
A poesia pode ser
O chazinho para a alma
Quando o paciente
Não reluta em beber
Que ela seja acessível
A todos
O quê o remédio é para o físico
Que ela seja ao seu espírito
Sem efeitos colaterais
Há um sofrer profundo
Desde o início do mundo
"Não vim para os são
E sim para os doentes"
De corpo, alma e mente
Jesus acessível a todos
A Poesia simples de se entender
Os "intelectuais "precisam ler.

2 comentários:

  1. oi amigo Aguiar, admiro seu trabalho e desejo que seu projeto continue avançando e atingindo os coraçoes das pessoas com palavras tão inspiradoras.

    abraço dos amigos,

    vagner, carolini e caio Berbat

    ResponderExcluir
  2. Palavras como estas, nos faz refletir, como tantos e tantos não acessam este JESUS maravilhoso.

    ResponderExcluir