Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

Sem alma

Imagem
Sou peregrino andando em mim
Ruas, avenidas, alamedas
Sem RG, poeta se disfarça
Andarilho só quer ser livre
Na cidade sem alma
Eu viajo... a seta está cravada
Em um mundo em desencanto
Não há destino para andarilho
Vou no silêncio das luzes
Voando feito pluma
Consigo ver a inutilidade
De quem não quer olhar
Eu percebo a falta de ar
Na cidade dos objetos
Na cidade sem alma
Há adultos fora da hora
Crianças sem escolas
Hospitais sem médicos
Esqueceram, o que somos
Não quero ser um objeto
Sou um ser em extinção
Consigo descançar 
A sombra dos insetos
Nas trilhas das formigas
Consigo entender suas idas e vindas
O sentido do  trabalho
Antes do inverno
Sou peregrino, não mendigo
Não vivo de esmola
Tenho no bolso ar
Tenho no bolso a água
O sol é meu companheiro
Sou rico, busco almas
Sonho viver em uma cidade
Cidade da Utilidade
Onde os homens  são meninos
E meninos homens com almas

Presente

Brotada em água 
Não uma Vitória- régia
Arte do homem...
Por poucos dias,
Flutua a majestosa
Olhares diversos
Olhares dispersos...
Longe de sua sombra
Distante são seus frutos
As luzes e brilhos
Um espetáculo!...
Presente da cidade
A cidade está nua
A cidade está suja
Mendigando suas dores
Maquiaram seu rosto
Vejam a grande árvore!
Realmente a maior de todas
Logrando o sentido do nascer
O natal do menino Deus
Presente por poucas horas
Por poucos dias
Pelos frutos se conhece
A árvore e o agricultor
E o dono da terra
Diz:-Quero seu coração
Da-me  ele de presente
Sua mente está doente
Nasça de novo
Este é o maior presente
Que todos precisam ganhar