sábado, 24 de abril de 2010

Na Praça

Um silêncio na praça
O vento sopra as folhas
Das árvores
Elas e os homens se vão
Em um silêncio
Outono de todos
Não vieram as crianças
Com seus risos inocentes
O medo e o abandono
Mendigos e menores
Uma cola que não une
Um bêbado e seu discurso
Uma praça sem graça
Os olhares em desconforto
Uma fonte que não jorra água
As flores não são notadas
Uma praça... sem graça
Um perecer...
Por não ter e nem
Saber o que é graça
É nesta praça que Jesus
Quer nos falar
Vamos ouvi-lo?

2 comentários:

  1. Meu amigo querido,
    Obrigada pelo carinho, pelas orações,
    estou passando no teu cantinho para lhe agradecer por td e para ver o que vc escreveu de lindo pra gente......
    Tenha uma semana abençoada
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Que praça!!!!
    Sempre com seu belo dom de escrever!
    Parabens

    ResponderExcluir

Desinteressante

Não as vejo no jardim, flores Com dores traçamos destinos Balas traçantes, mortes, triste instante Só noticias frias, sem poesia Cambale...