segunda-feira, 5 de abril de 2010

Conhecer

Como nos conhecemos?
Foram os fatos...
As opiniões...
As emoções...
Meu semblante
Não foi ?
Foram as palavras
Talvez revolveu
Marcou em ferro quente
As marcas dos gritos
O sussurro que adverte
O acalento, o espanto
A denuncia do sensato
Foram as palavras
O dedo do apontar
Um mundo que chora
As mazelas dos homens
Foram as palavras
Que aproximou as almas
Que aspiram por paz
O fato que não sensibiliza
A opinião estática
A emoção surda
Que não enxuga as lágrimas
O silêncio que esconde uma verdade
Foram as palavras
Que muitos
Economizam
E não dirão nunca
Querem agradar o céu
E muito mais o chão
Palavras de apoio
De apreço
Eu quero para mim
Aos outros, nem tanto
Um cantar e compor
Uma palavra ficção...
Oração surda
Um gesto sem sentido
A palavra que o Senhor vai aferir
No fiel de sua balança
Ele conhece de Fato
Ele conhece a opinião
Ele conhece a emoção
Ele conhece seu sim...
E também o seu não...

Nenhum comentário:

Postar um comentário