sábado, 17 de julho de 2010

Vou ouvir


Vou ouvir
Os sons dos becos
Não é canção alegre
Alguém se importa comigo
Pai, ai !
O que se acaba
O que perece
Não alimenta
Há um frio
De um abraço
A cegueira de um olhar
As lágrimas vão ao chão
Se estancam sem solução
De um próximo distante
Arrogantes, farsantes
Não têm tempo
Desvalido
Geme
Treme
Fere
A carne de quem sofre
Pai, ai !
Como cessar a morte
E formar uma vida
Só comendo o Pão
Bebendo a água
Da vida
Não há fila
Os últimos serão os primeiros
Uma sentença eterna
Muitos não pensam assim
Triste fim

4 comentários:

  1. Muitos deixam de acreditar em si mesmo... E usam desculpas que não tem exlicação...

    ResponderExcluir
  2. A carne que sofreu trouxe-nos redenção! Ainda há muitos com cegueira espiritual, precisamos alumiar essas pessoas para que também compartilhem da salvação! E deixem que Jesus as consolem!
    José... no verso 23, "sessar" substitua por "cessar", ok?
    Deus o abençoe grandemente
    Ju

    ResponderExcluir
  3. Acreditar em si, é ter em mente que o poder de Deus opera mesmo quando estamos parados...
    O acreditar é a fé mesmo nas situações mais inoportunas... os últimos serão os primeiros... pois os últimos acreditam nos seus ideais e nos seus sentimentos... e claro só serão os primeiros se as suas ambições, estiverem em concomitância com as do Senhor...

    ResponderExcluir
  4. Meu querido J.Aguiar... Vou ouvir e levar adiante suas palavras encantadoras de quem ama e entende como encantar corações com seus belos poemas... Esse então é de uma beleza singular. Quantos não tem o pazer de ajudar o outro mesmos nos becos da vida onde o frio doe na alma e o egoísmo explode nos corações. Portanto, vale o conselho: "É necessário olharmos o próximo aonde quer que estejas!"... Lindo demais! Como sempre, voltarei logo em breve!

    http://joselitootilio.blogspot.com/2010/07/quando-o-fim-e-o-recomeco.html

    ResponderExcluir