segunda-feira, 2 de abril de 2012

Bicicletar


O ritmo das rodas
Nas cidades dos homens
Automóveis não se movem
Bicicletar é hora
Bicicletar... sonhar
Em que ruas pedalar?
A vida não parou
Para o bom ar no rosto
Diz Sophia: quero bicicletar
Sabedoria de criança
O carro mata
Sou pequena
Meu avô é grandão
Ele sabe bem bicicletar
Eu sonho como Sophia
Barulhos de risos...
Idosos, crianças
Não acordem os carros
Quero aprender bicicletar.

3 comentários:

  1. Mais um belo poema, como sempre.
    Parabéns!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo J.F., realmente, vou concordar: mais um belo poema. Recebi seus comentários no blog e devo dizer que ando meio chateada com a internet. Na verdade, tenho procurado evitar o computador e me expor menos na rede. Soube que andaram copiando muitas coisas que fiz sem citar a fonte, indevidamente. Por isso restringi o acesso ao blog Probóscida a mim mesma por enquanto, como um arquivo pessoal. Mas se essa minha cisma deixar de existir um dia - longe ou perto -, saiba que será um dos primeiros a serem convidados a compartilhá-lo novamente. Muito obrigada, de coração!

    ResponderExcluir
  3. Lindo!!!
    Texto Otimo!
    Lembrei da minha bicicletinha verde, que eu amava passear na chuva com ela. :D Saudade!

    ResponderExcluir