segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Silêncio

Seu silêncio me dói
Seu olhar não me vê
Quero o porque?
Quando busco viver
Busco vidas
Busco seu oxigênio
Busco gerar palavras 
Grito ao seu silêncio
Não me deixe morrer
Seu olhar mudo
Sua indiferente
Deixa eu esfregar seu coração
Meus dedos tem palavras
Linguagem necessária
Lenço para os olhos
No tempo dos sem tempo
Tempo dos sem afetos
Tempo líquido, éter
Nada concreto
Pele sem alma
Visão congelada
Só pra lembrar
Há palavras...
E elas foram ditas
Não tente mata-las
Elas brotam em versos
Irão dizer em seu sono
Acorde... sinta meus beijos
Palavras... poesias

2 comentários:

  1. Aguiar, como é bom vir aqui para me embriagar com sua poesia. Belíssimas palavras.

    Eu acredito que o silêncio pode falar muita coisa.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Seu Aguiar, muito obrigado pela visita e comentário. Bom vir apreciar sua poesia. Muitas vezes o silencio diz tanta coisa. Tem até um ditado popular que diz que "o silencio val mais que mil palavras".
    Abraço e, apareça sempre que puder

    ResponderExcluir