sábado, 10 de novembro de 2012

Flanar






Quero flanar
Ser uma pena
Levado ao vento
Sondar o precário
Nosso outono trágico
Ausência de primavera
Folhas e homens ao chão
Tudo que não sei
Eu sei... aprendi nas ruas
Flanei  nos becos
Nos  labirintos dos guetos
Embaixo das pontes
Tropeçam os homens
Em pedras, pobres zumbis
Precariedade extrema
Flagelos sem opção
Entre lama e sangue
Flanei a conversa 
De uma criança... 
Marcou-me a sua alegria
Feriu-me sua dor
Sem confidência, sem fingir
Domingo vou passear
Vou ao presidio
Lá está minha mãe
Ela fez o que não devia
Em meu flanar
Eu os vi  bebendo refresco
Com bolo de fubá
Entre os muros cinzentos
Os guardas não podiam conter
Lágrimas e risos de felicidade
A meiguice de uma mãe que sofre
Voz embargada, sussurros...
Não pegue no que é do outro
Fique livre... siga limpo...

6 comentários:

  1. Seus poemas são sempre muito intensos.

    "Não pegue no que é do outro
    Fique livre... siga limpo..."

    Trecho perfeito!
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Salve meu amigo, tu sumistes da minha Esferografia :[

    Fico sempre feliz quando voltas e deixa por lá o carinho de teu comentário.

    Nada como estar limpo, nada como ser livre como uma pena, para voar pela vida...

    ResponderExcluir
  3. Ficar limpo, é isso aí! De preferencia de corpo, alma e espírito. Belo poema cheio de toque sutis de bons conselhos para uma vida plena de liberdade. Nunca pegue o que não lhe pertença.

    Ah, Sr. Aguiar, em tempo: retire essa verificação de letrinhas para os comentários, elas só dificultam.

    Abraço do amigo

    Obrigado pela visita e comentário, apareça sempre que for possível.

    ResponderExcluir
  4. Sr. Aguiar, como é bom quando temos a oportunidade dessa interatividade com nossos leitores e podermos propor coisas que possa melhorar a participação deles.

    Com certeza, essa oportunidade de dar ideias e sugestões e elas ser recebidas sem causar incomodo é muito bom. Obrigado por acatar minha sugestão.

    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  5. Voltei aqui meu amigo, para dizer que oro sempre por você e sua família, e tenho certeza de que ele está sempre por perto de vocês...

    Muitos abraços

    ResponderExcluir
  6. É muito bom ter os comentários do senhor em meus blogs. Eles demonstram uma grande preocupação com o ser humano assim como eu. Somos uma voz que clama justiça em um país onde a justiça na verdade está ao alcance de poucos privilegiados.

    Mas quem sabe um dia depois de tanto batermos na mesma tecla as coisas mudem para melhor.

    Obrigado seu Aguiar, pela sua sabedoria e ensinamentos valiosos através de suas poesias.

    Abraço

    ResponderExcluir