sábado, 17 de março de 2012

Penso logo...


Meu Caro René quero entender
Angustiante realidade das cidades
Seres, pessoas sem reconhecimento
Seres aniquilados
Catástrofe humana, inverno de morte
O amor, não amou, esfriou...
Não-pessoas em todas as partes
Não-pessoas, estranha classe de pessoas
Desaparecem nos presídios
Não há juiz de Plantão
Nos corredores dos hospitais
A espera da morte
Não há médico para as não-pessoas
Caro René quero apenas dizer
Não há nada tão angustiante
Do que existir, não existindo
O que é ignorado não existe
Há não-pessoas nas ruas, nas calçadas
Nas escolas, nos abrigos, nos cortiços
Descartes... penso em exclusão
Há um buraco negro em nossa selva
Ignorar as não-pessoas será o fim
Um mundo quadrado, patologicamente
Condomínios doentes...desagregação da mente
Não há aproximação, anomalia, esquizofrenia
O que desejamos? para onde ir?
Sempre que desejamos, nos falta algo
Desejamos o que não somos
Assim o desejo é sempre o que nos faz falta
Precisamos do outro para existir
Pessoas, gente como a gente.

4 comentários:

  1. Um grande poema, como sempre!!
    Estamos cercados por casos de exclusão: o paraplégico que não tem ajuda para subir no ônibus; o doente no corredor do hospital; o mendigo com fome na rua etc.
    Até quando a sociedade vai olhar para essas pessoas como "não-pessoas"??
    Parabéns pelo poema. Muito rico!!!

    "Não basta termos um bom espírito, o mais importante é aplicá-lo bem." (René Descartes)

    ResponderExcluir
  2. "o desejo é sempre o que nos faz falta"[

    Uma frase cheia de razão.

    Sempre o falta é o que o homem busca. Ciclo vicioso.

    Parabens pelo poema.

    ResponderExcluir
  3. "O que é ignorado não existe... precisamos do outro para existir... pessoas, gente como a gente."
    Quanta sensibilidade, meu amigo!
    "Não há nada tão angustiante do que existir, não existindo".
    Verdades profundas! Obrigada por postar pra gente coisas tão lindas... e às vezes, coisas que também sentimos, mas, não sabemos expressar com palavras e você o faz.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Amigo, respondi alguns comentários seus, lá no meu blog. Depois dá uma olhadinha.
    Nem sempre dá para responder todos, pois tenho um filho ainda pequeno (2 anos e meio) e que me ocupa muito tempo rs.rs,rs... mas, quero que saiba que sou muito agradecida pelo seu carinho e amizade.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir