sexta-feira, 9 de março de 2012

Aldeia




Me doeu pensar assim
Quando alguém me diz não
A vida diz sim
Há tribos com iPod, batatas fritas
Não me venha com seu pensar
Vou baixar a banda da hora
Os índios de minha terra
Sem opções
Pensar em Dourados
Não há ouro
Não há prata
Comer e beber
Coca-cola, hamburguer
X tudo, X salada
Não há peixe, mandioca
Vidas em desafetos
Vidas Afetadas
A morte não agenda a hora
Estamos na mesma canoa
Imagem efémera
Vaidade, das vaidades
Tudo se vai...

3 comentários:

  1. Nossa. Que texto. Eu fiquei surpresa com essa verdade que agente esquece. Muito bom para refletir. Deixei uma tag para voce la no meu blog. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente com o comentário da Anhy. Sem dúvida, seus poemas são ótimos!! Reflexão nota mil. Abraços!

    ResponderExcluir

Desinteressante

Não as vejo no jardim, flores Com dores traçamos destinos Balas traçantes, mortes, triste instante Só noticias frias, sem poesia Cambale...