quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Imprevisível


Se você embarcar comigo nesta jornada
Nunca saberá qual será a próxima etapa
Pode ser um viagem segura
Pode ser uma viagem caótica
Viagem com poeta é imprevisível
Quando estou em estado de poesia
Tenho memórias em extremos
Há momentos que são claros
Outros só me lembro da dor
Os detalhes se perdem
As lágrimas não são vistas
Eles escorrem dentro em mim
Tenho medo de ficar sozinho
Quer vir comigo nesta viagem?
Sempre há algo pairando no ar
Vamos ficar cinco minutos observando...
As ruas me chamam de omisso
Em meu silêncio prospera a vergonha
Eu não pude curar sua dor
Olhar de cidade que agoniza....
Implorando por um conforto
Fiquei assombrado...
Este lugar é tão familiar
Suas chagas, suas lágrimas
Em bancos frios de concreto
Nossa alegria será blasfêmia
Há dias que não somos capazes...
Voltemos amanhã... será que haverá?

2 comentários:

  1. Que lindo, como sempre! Você transborda poesia! Obrigada por nos presentear com elas!
    Desejo que as bênçãos dos céus possam cair sobre a sua vida e a sua casa neste fim de ano... durante todo o ano que vem e durante toda sua vida!
    Saúde, Paz e muita Felicidade!!!
    Um abraço, querido irmão!

    ResponderExcluir
  2. Saudades de tua poesia meu amigo, tua poesia e forte.

    Há tanta solidão e tristeza por tantos lugares, que até nos incomoda no instante em que estamos felizes...

    Não esqueço-me nunca de ti meu amigo, felicidades sem fim pra toda tua família.

    ResponderExcluir