quinta-feira, 10 de julho de 2014

O Grande Nada

O deus deste século
O Grande Nada
Leva a muitos ao seu alienar
A crença em um Nadarismo
Destruir, aterrorizar
Ferir, matar
Os tolos vedem suas almas
Ele não junta, espalha
Não planta mas quer colher
Não soma só subtrai
Pai dos soberbos, dos tiranos
O Grande Nada, holocausto do terror
Sua ira não se aplaca
Queima ônibus
Saqueia lojas
Impede o ir e vir
Fala em liberdade...
Não tem raiz
Não dá frutos
A covardia em osso
Não tem cara
Esconde o rosto
Seus príncipes
Seus meios, seus fins
Não levam a nada
Nada é nada
Usa roupa de marca
Com perfume de terror

2 comentários:

  1. É sempre bom ler os seus versos. Continue postando!
    Abraço!!!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Essa é a triste realidade que vemos em nossos dias. Pessoas que adoram o Nada, o passageiro, o efêmero, as coisas materiais. E muitos em busca dessas coisas, esquecem do amor, da família... de Deus. Em busca do efêmero, saqueiam lojas, tiram vidas... por uma roupa ou tênis de marca. E o que elas tem no coração? Um Grande Nada, um grande vazio!

    ResponderExcluir