quarta-feira, 17 de julho de 2013

Vandalizar

Vem de longe está perto dos homens
Vem de longe está dentro dos homens
Sua escolha, o conhecimento
Sendo assim comeu o fruto do mal
Vandalizou a árvore do éden
Errante Caim, vandalizou Abel
Arquiteto de ruínas
Dentro de si, cinzas
Em casa, nas ruas
O verbo vermelho
Sangue de dor
Vem de longe
E não se basta
Como traça
Final de guerra
O verbo do terror
Vandalizar, acabar se acabar
Homens sois pó das tolices
Viveis as mesmisses
Sua trama é lama
Palavras de ordem
Sem razão...
Quem fere com fogo
Como fogo será ferido
Paz, justiça
Não se tem
Não se avista
Vandalizar
Foi o que mais se fez
Quem nunca o fez
Atire sua pedra
Os soldados suas balas de borrachas
Nossas lágrimas se misturam
Gás lacrimogêneo
Deus do céu! vandalizamos
Toda terra...Vandalizamos
Seu único filho
Não damos ouvidos
Vandalizamos o amor
Ele continua sózinho
E diz baixinho
Eu sei como não vandalizar.

2 comentários:

  1. Aguiar, muito obrigado por ter reaparecido em minha página mais uma vez. É uma honra receber seu comentário. Achei que já tinha me abandonado também. Um abraço fraterno

    ResponderExcluir
  2. Seus textos são sempre muito intensos. Essas manifestações são o divisor de águas do nosso país e você tratou do assunto com muita sensibilidade.
    Parabéns!!

    Abraço forte.

    ResponderExcluir

Desinteressante

Não as vejo no jardim, flores Com dores traçamos destinos Balas traçantes, mortes, triste instante Só noticias frias, sem poesia Cambale...